quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Message in a Bottle



Esse é um post rápido, na verdade será mais um suspiro...
Há muito procuro "Cartas de amor de grandes homens", que por coincidência foi citado no filme "Sex and the city". Uma professora de história que eu tive citou trechos, de cartas de tais homens importantes do nosso passado(Mozart, Beethoven , Napoleão,Balzac,Eça de Queirós...) e lembro que na hora fiquei super curiosa para saber da intimidade, da angustia, da saudade, do amor que esses homens sentiam...

As cartas me encantam até hoje, sem querer desmerecer um e-mail carinhoso, mas cartas são cartas...

E saber, que eram, na maioria das vezes, feitas às pressas, com muito sentimento reprimido, muita saudade, a incerteza do reencontro... sem contar com o fator mais charmoso, da grande jornada que essas deliciosas cartas faziam, até chegar ao destino, à pessoa mais importante para esse pedaço de papel, lotado de emoção...

A carta que mais mexeu comigo, foi a do Beethoven, (li somente algumas, todas lindas).
Me flechou por ser toda cheia de segredos, aqueles que só os amantes sabem. Uma mistura de cumplicidade, magia, proíbido, restrito, tesouro...

Como aquela tarde que foi super especial para vocês, aquele lanche simples na madrugada que teve o maior valor, aquela praia num dia lindo mas quase deserta, aqueles olhares lançados quase que em segredo numa noite lotada de gente, aquela piada que só vocês morrem de rir, aquele filme que entrou em sintonia com o casal, aquele pôr- do -sol visto de dentro do carro, aquela mensagem que você estava digitando e na hora recebeu uma ligação do destino da sms,
aquele cheiro- no ar, nos lençóis, nos cabelos, na memória- que arranca as palavras...

À quem tem medo, digo: vale a pena se dar por inteiro. Vale para os amantes, os amigos, os parentes. Vale também você se reconhecer, passar momentos sozinho (em termos, porque você com você mesmo já será o bastante- delicioso-) e se entregar ao que realmente quer.
Depois me conte, adoro histórias de amor...

Só não dê seu ouro para qualquer um, ele é muito valioso! =)





Beethoven's Immortal Beloved Letters (1812)



Good morning, on July 7
Though still in bed, my thoughts go out to you, my Immortal Beloved, now and then joyfully, then sadly, waiting to learn whether or not fate will hear us - I can live only wholly with you or not at all - Yes, I am resolved to wander so long away from you until I can fly to your arms and say that I am really at home with you, and can send my soul enwrapped in you into the land of spirits - Yes, unhappily it must be so - You will be the more contained since you know my fidelity to you. No one else can ever possess my heart - never - never - Oh God, why must one be parted from one whom one so loves. And yet my life in V is now a wretched life - Your love makes me at once the happiest and the unhappiest of men - At my age I nedd a steady, quiet life - can that be so in our connection? My angel, I have just been told that the mailcoach goes every day - therefore I must close at once so that you may receive the letter at once - Be calm, only by a clam consideration of our existence can we achieve our purpose to live together - Be calm - love me - today - yesterday - what tearful longings for you - you - you - my life - my all - farewell. Oh continue to love me - never misjudge the most faithful heart of your beloved.
ever thine
ever mine
ever ours






sábado, 19 de dezembro de 2009

Balanço





Ontem, exausta de um dia corrido (típico de final de ano), estava realmente no piloto automático, tomei um banho, me joguei na cama e desliguei tudo.

Sem música, sem luz da tv ou do notebook, sem livro, sem abajour...

Senti aquela sensação gostosa do corpo cansado, relaxando músculo por músculo sobre a cama. O quarto não estava totalmente escuro, havia uma luz entrando pela janela,

culpa das cortinas entreabertas.

Foi uma sensação muito gostosa, sentir só a mente em atividade fazendo parceria com a única luz do quarto...

E, como todo dezembro, o mês que tem o poder de nos fazer refletir pelo menos um pouquinho sobre o ano, relembrei os capítulos do meu. Sendo prática, nada novo:

mais um ano que "passou rápido", correria na faculdade, ansiedade, situações ridículas no governo... Enfim, sob esse aspecto NADA DE NOVO.

Sendo emotiva: um turbilhão de sentimentos. Na verdade, fui "resgatada" pelas emoções, eu - que me sentia confortável sendo racional.

Só tenho à agradecer.

Sempre acreditei, que somos responsáveis pelo nosso próprio destino, mais ou menos isso:"Sou meu melhor amigo, meu pior inimigo, a unica pessoa que cria dúvidas, dificuldades, certezas e oportunidades ao meu redor. Sou o meu céu. Mas também o meu próprio inferno."

Hoje acredito em parte. A vida também traz surpresas, cria situações, conspira, única e exclusivamente para nosso crescimento. E por isso digo mais uma vez:

MUITO OBRIGADA! Graças às surpresas, pude abrir meu canal das emoções, e começar a caça de mim mesma. Sou mais complexa do que imaginava, mas para quem quer viver

mais de 100 anos (com saúde, assim espero), quem sabe no finalzinho da minha vida eu faça uma pequena idéia de quem sou?!

Não fecho meus olhos para o mundo, que por muitas vezes me arranca lágrimas por tanto sofrimento. Mas hoje vivo uma vida toda nova, justamente por sempre olhar pra fora,

preocupada demais, mas sem me notar, me enxergar. 2009 me trouxe muitas coisas, a maioria não palpável, sou a mesma: ansiosa, agitada, com mesmos projetos a pequeno e longo prazo,

distraída e ligada demais, mas hoje também assumidamente sonhadora, com olhar romântico sobre a vida, contraditória, questionadora...

O que esperar para 2010?

Espero o de sempre: paz, saúde, entendimento, progresso...

E pessoalmente mais um pouco: mais textos que me emocionem, mais filmes que me façam rir, aprender, refletir, mais contato com as pessoas que amo, e com novas,

mais momentos zens,que eu me entregue mais à faculdade, realizações, mais pureza, verdade, sorrisos, gargalhadas...

E peço mais: mais crônicas Martha Medeiros, mais criações lindas Glória e Thaís (vou sentir falta do natal mágico de vocês! Amo muito todos), mais textos emocionantes Anamel,

mais madrugadas, conversas, risadas confidências dani, flavia, ale, mais comprometimento com meus amigos da faculdade, que a união e cumplicidade com minha mãe continue forte,

a amizade e o companheirismo continuem também fortes com meu pai e irmãos, mais viagens, mais lambidas latidos e brincadeiras maggie, mais compreensão, mais produtividade,

mais prazer, mais sonhos, mais projetos,mais beleza, mais "nossa como o ano passou rápido?!", mais coisas manjadas, novas também...

Enfim, vamos viver até a última gota, porque a vida está aí, com muito à oferecer.

Obrigada pela a força de todos nessa minha aventura que tem sido escrever, tinha tanto guardado, ainda tenho, mas prometo um blog mais interessante, e menos diário de bordo

de uma "caçadora dela mesma".

"Tudo vale a pena quando a alma não é pequena."

Fernando Pessoa

Smile

Charles Chaplin

Composição: Charles Chaplin

Smile, though your heart is aching

Smile, even though it's breaking

When there are clouds in the sky

You'll get by...

If you smile

With your fear and sorrow

Smile and maybe tomorrow

You'll find that life is still worthwhile if you'll just...

Light up your face with gladness

Hide every trace of sadness

Although a tear may be ever so near

That's the time you must keep on trying

Smile, what's the use of crying?

You'll find that life is still worthwhile

If you'll just...

If you smile

With your fear and sorrow

Smile and maybe tomorrow

You'll find that life is still worthwhile

If you'll just Smile...

That's the time you must keep on trying

Smile, what's the use of crying

You'll find that life is still worthwhile

If you'll just Smile.




E você, qual é o seu balanço???

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Clichê






















Os modismos, as coisas iguais, frases manjadas, músicas muito tocadas, filme aclamados por todos, livros endeusados, entre tantas outras coisas, não me
inspiravam confiança. Eu sentia que não iria gostar, pelos simples fato da unanimidade, que boba... Era mais ou menos: "Hay Unanimidad? Soy Contra! "
Mais uma vez: QUE BOBEIRA!!!Qual o problema em se encaixar um pouco no clichê?!

Percebi, um dia desses lendo o blog de uma amiga do colégio, uma amiga que sempre admirei, mas nunca tivemos um contato maior. Agora, como seguidora assídua
de seu blog www.cantoqueencanta.blogspot.com, pude ter certeza do que já sentia sentia dela no colégio - muita sensibilidade e muita inteligência- ela que tem a elegância
e a discrição como características do signo -libra-, tem me emocionado muito com seus post's, e no último, com título :"Despedidas", me despertou para isso, do por que não assumir
que temos muitas semelhanças, nós humanos, e que por muitas vezes elas podem ser confortantes, podem servir de canal para conhecer o outro...

O trecho em que mais me identifiquei foi "Bia nunca havia se entregado verdadeiramente àquela relação. Buscava o que pra ela era como o equilíbrio, dava-se pela metade, a outra metade incobria, permitia que realizasse outros desejos, com aquela alimentava fantasias à parte. Dessa maneira, não precisaria descobrir todos os riscos e aventuras daquele amor. Ela, que se dizia tão desapegada, tão livre, havia percebido finalmente o quanto devia ter valorizado aquele que estava sempre ali ao lado, doando-se dia após dia."
E quantas pessoas não se identificariam?! Isso foi uma sacada incrível Anamel, AMEI!

Tem um episódio de "Friends" que eu sempre dou gargalhada, a Phoebe descobre sua mãe biológica, e para começar a relação elas tentam descobrir o que têm em comum
"você gosta de filhotes?" "sim, eu amo filhotes" "e pizza?!""nossa, também adoro, temos tanto em comum", é mais ou menos assim o diálogo, e por muitas vezes me pego fazendo
isso para interagir com alguém.

Uma escritora que, na maioria das crônicas, sempre me vejo é a Martha Medeiros. Já terminei inclusive muitos post's colocando trechos, e até crônicas inteiras dela.

E não é gostoso mesmo, compartilhar com a maioria das pessoas certas coisas?

"Adoro: cheiro de chuva, dormir agarradinho, ou esparramada, hálito de filhote, risada de bebê, dormir com barulho de chuva, sentir aquele perfume maravilhoso no ar, no caminho de casa à noite sentir cheiro de "Dama da Noite", passar a tarde com os amigos, com a família, desabafar, AQUELA pizza, abraçar,dormir com meu edredon, um banho quente no frio, ou cachoeira no calor, assistir pela milésima vez um filme e me emocionar da mesma forma, colocar aquela roupa confortável e fazer o que quero, aquele beijo na chuva do homem aranha, aquela cena de match point, viajar, voltar de viagem,dançar a noite toda, ser surpreendida, ser correspondida, pôr-do-sol, nascer do sol,flores,ouvir música alta, assistir à um bom filme ou série,praia, montanha, mato, grama molhada,cama macia,lua cheia, encontro de olhares, gargalhar, observar a inocência dos animais, me arrepiar, me encaixar, ver sorrisos, acertar, relaxar, matar o desejo de comer a comida que surgir na cabeça, receber mensagem, brincar, não sentir a hora passar..." Não gostar de uma coisa ou outra, tudo bem, mas acredito que a maioria pensa "ai, eu também".

E, confesso: ADORO ME VER NAS PESSOAS!!! No passado, no presente ou no futuro.
Pronto, talvez eu esteja entregue ao chavão. Mas não me importo...



(...)

"Toda mulher é doida. Impossível não ser.
A gente nasce com um dispositivo interno que nos informa desde cedo que, sem amor,
a vida não vale a pena ser vivida, e dá-lhe usar nosso poder de sedução para encontrar the big one,
aquele que será inteligente, másculo, se importará com nossos sentimentos e não nos deixará na mão jamais.
Uma tarefa que dá para ocupar uma vida, não é mesmo?
Mas além disso temos que ser independentes, bonitas, ter filhos e fingir de vez em quando que somos santas,
ajuizadas, responsáveis, e que nunca, mas nunca,
pensaremos em jogar tudo pro alto e embarcar num navio pirata comandado pelo Johnny Depp,
ou então virar louca e cafetina, ou sei lá, diga aí uma fantasia secreta,
sua imaginação deve ser melhor que a minha.
Eu só conheço mulher louca.
Pense em qualquer uma que você conhece e me diga se ela não tem ao menos três dessas qualificações:
exagerada, dramática, verborrágica, maníaca, fantasiosa, apaixonada, delirante.
Pois então. Também é louca. E fascina a todos.
Todas as mulheres estão dispostas a abrir a janela, não importa a idade que tenham.
Nossa insanidade tem nome: chama-se Vontade de Viver até a Última Gota.
Só as cansadas é que se recusam a levantar da cadeira para ver quem está chamando lá fora.
E santa, fica combinado, não existe.
Uma mulher que só reze, que tenha desistido dos prazeres da inquietude, que não deseje mais nada?
Você vai concordar comigo: só se for louca de pedra."


Martha Medeiros



* Concordo sim, e digo "POXA, EU TAMBÉM!!!"



Coisas que eu amo

A Noviça Rebelde

Gota de chuva, bigode de gato
Laço de fita, cordão de sapato
Flor na janela e botão no capim
Coisas que eu amo e são tudo pra mim

Doce na mesa e sol na cozinha
Bico de pato, chapéu de palhinha
Banda passando e soando o clarim
Coisas que eu amo e são tudo pra mim

Lona de circo, tapete de grama
Bola de neve e botão de pijama
Doces invernos chegando no fim
Coisas que eu amo e são tudo pra mim

Se a tristeza
Se a saudade
De repente vêm
Eu lembro das coisas que eu amo e então
De novo eu me sinto bem!

Gota de chuva, bigode de gato
Laço de fita, cordão de sapato
Flor na janela e botão no capim
Coisas que eu amo e são tudo pra mim

Língua de trapo e bochecha vermelha
Lua passando na fresta da telha
Brisa soprando e penteando o jardim
Coisas que eu amo e são tudo pra mim

Bola de gude, nariz de cachorro
Uma igrejinha no alto do morro
Carta contando tin-tin por tin-tin
Coisas que eu amo e são tudo pra mim

Se a tristeza
Se a saudade
De repente vêm
Eu lembro das coisas que eu amo e então
De novo eu me sinto...
Se a tristeza
Se a saudade
De repente vêm
Eu lembro das coisas que eu amo e então
De novo eu me sinto bem


Poxa, eu também²



terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Relicário





Na definição, "Relíquias, coisas guardadas com valor"

Ontem estava louca procurando uma bolsa, que, por ter mais idade, fica guardada junto com coisas muito antigas (caixas com cartas, fotos, bilhetes, papeis...)

Quando olhei p/ essas caixas, senti na hora uma vontade imensa de pegá-las e me jogar na cama, olhando cada papelzinho - que para quem não viveu é um monte de

lixo- mas para mim são relíquias.

Jogada na cama, olhando e lembrando de tudo dei graças a deus por nunca ter ouvido minha mãe, quando ela dizia para jogar "essa lixarada" fora. É certo de que tenho

feito desse blog um relicário, mas essas coisinhas pequenas são como registros, comprovantes...

Guardo bilhetes de cinema desde 1998, ainda tenho a entrada do Rock'in'Rio, e de todos shows que já fui, cartinhas dos meus pais, desenhos do meu avô, cartas das amigas

na fase menina, na fase adolescente e também na fase adulta, cartões, bilhetes estimando minha melhora quando tirei os cisos, coisas escritas naquele guardanapo de bar (que de tão fino

estão quase rasgando)... Até que peguei um cartão postal, de Londres, mandado pelo meu irmão quando ele soube que eu tinha sido atropelada.

Na mesma hora pensei, faltam duas peças importantíssimas a serem reconhecidas no meu relicário.

Meus irmãos mais velhos, os gêmeos, os escorpianos...

Ao contrário de todos irmãos mais velhos, e até do Maurício, eles sempre me estimularam a viver. Eles eram o barulho da casa, a energia, as risadas altas, as histórias engraçadas,

o centro das atenções. São impulso, carisma, tempestade, emoção, renascimento, sangue quente, carinho, vida... Sempre viveram muito, experimentaram a vida desde cedo,

e, quando eu ia desabafar alguma angustia infantil sempre era confortada com a sabedoria desses jovens vividos. Nada para eles era assustador, ou novo, ou demais...

Eles queriam que eu começasse a namorar mais tarde e saísse mais, me acobertavam e iam buscar de festas que na época eu não era liberada, sempre vinham com mimos - como lanche à qualquer hora

doces, roupas... Tudo sem data especial, apenas porque sou a irmãzinha deles.Me confidenciavam muitas coisas, atribuindo uma maturidade à mim que eu talvez não tivesse.

Essa fervura que é o sangue deles já derrubou algumas coisas, mas nunca o nosso amor.

É um pecado falar deles dois dessa forma, até porque o que o gêmeo mais quer é sua individualidade. Eles nunca tiveram roupas iguais (mãe pedagoga), namoradas,

cortes de cabelo, tatuagens... Mas, vou citar uma história deles pequenos que explica melhor que eu a conexão dos gêmeos: Eles eram muito bagunceiros no colégio, eram impossíveis, e para melhorar

o rendimento na escola e o comportamento deles minha mãe resolveu colocar um estudando à tarde e outro de manhã - Resultado- eles ficaram deprimidos, não queriam brincar, não queriam fazer nada...

Maurício estimulou minha cautela, e eles meu impulso. Isso sim é equilíbrio!!!

No domingo, fiquei com um nó na garganta, queria ter assistido com todos eles o mengão hexa campeão! Falei com o Maurício pelo Skype e ele lembrou que em 92, eles foram assistir no maraca com meu pai, e a arquibancada caiu... Em 2009 cada um assistiu em um canto diferente, mas com certeza em sintonia.

Tenho minhas relíquias reconhecidas aqui, nas minhas caixas, e nas lembranças... Somos frutos delas, como do meio, como de nossos pais, irmãos, amigos, tropeços...

Estou aberta, quero, enquanto viver que minhas relíquias sejam infinitas...

Fabio e Rogério amo vocês!

"Você é os brinquedos que brincou, as gírias que usava, você é os nervos a flor da pele no vestibular, os segredos que guardou, você é sua praia preferida, Garopaba, Maresias, Ipanema, você é o renascido depois do acidente que escapou, aquele amor atordoado que viveu, a conversa séria que teve um dia com seu pai, você é o que você lembra. Você é a saudade que sente da sua mãe, o sonho desfeito quase no altar, a infância que você recorda, a dor de não ter dado certo, de não ter falado na hora, você é aquilo que foi amputado no passado, a emoção de um trecho de livro, a cena de rua que lhe arrancou lágrimas, você é o que você chora. Você é o abraço inesperado, a força dada para o amigo que precisa, você é o pelo do braço que eriça, a sensibilidade que grita, o carinho que permuta, você é as palavras ditas para ajudar, os gritos destrancados da garganta, os pedaços que junta, você é o orgasmo, a gargalhada, o beijo, você é o que você desnuda. Você é a raiva de não ter alcançado, a impotência de não conseguir mudar, você é o desprezo pelo o que os outros mentem, o desapontamento com o governo, o ódio que tudo isso dá, você é aquele que rema, que cansado não desiste, você é a indignação com o lixo jogado do carro, a ardência da revolta, você é o que você queima. Você é aquilo que reinvidica, o que consegue gerar através da sua verdade e da sua luta, você é os direitos que tem, os deveres que se obriga, você é a estrada por onde corre atrás, serpenteia, atalha, busca, você é o que você pleiteia.Você não é só o que come e o que veste. Você é o que você requer, recruta, rabisca, traga, goza e lê. Você é o que ninguém vê."

Martha Medeiros

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

"Look at the stars, look how they shine for you"





Todos conceitos e formas das estrelas me encantam. Talvez porque normalmente quando falamos das estrelas, alguma coisa boa é.

Mais uma definição da Wikipédia:

"Uma estrela é um corpo celeste luminoso formado de plasma. Por causa de sua pressão interna, produz energia por fusão nuclear, transformando átomos de hidrogênio em hélio.
A estrela mais próxima da Terra — depois do Sol, a principal responsável por sua iluminação — é Próxima Centauri, que fica a 40 trilhões de quilômetros, ou 4,2 anos-luz."

Estrela cadente: é o nome dado a um fenômeno astronômico que acontece frequentemente. Apesar do nome, não são estrelas, são meteoróides que entram na atmosfera terrestre e sofrem intenso atrito. O aquecimento gerado pelo atrito faz com que os meteoros cheguem a pegar fogo. Com isso ocorre a emissão de luz própria, permitindo que eles possam ser vistos."


Estrela de Davi:"De acordo com a Cabala (livro de mística judaica), a Estrela de Davi insinua a representação das sete emanações divinas (sefirot) inferiores. Cada triângulo dos seis triângulos que formam os lados da estrela representariam uma emanação e o centro dos triângulos maiores sobrepostos da Estrela de Davi representariam a emanação denominada Malchut. O filósofo Franz Rosenzweig deu uma outra interpretação muito peculiar à Estrela de Davi, quando afirmou que um dos triângulos constituintes do símbolo seria a representação da base de focos que caracterizam o pensamento do mundo – Deus, o homem e o mundo.
a Criação (a relação entre Deus e o mundo), a revelação (a relação entre Deus e o homem) e a redenção (a relação entre o homem e o mundo). Os cristãos utilizam o símbolo como sinal de respeito à Israel, sendo esse o lugar onde eles acreditam que Jesus voltará."




Viajei nas férias com uma amiga, tinhamos 14 anos e depois da praia ficamos o resto do dia na piscina, até as estrelas aparecerem. Ela me disse uma coisa, que
me tocou muito na hora, e que faz o maior sentido: "Larissa, você já percebeu que o mundo todo está debaixo do mesmo céu? E que as estrelas contempladas por nós
agora, também podem ser admiradas no exato momento por pessoas queridas?!" Isso além de lindo, é confortante.

Sempre quis as estrelas. Queria guarda-las, aquelas feitas (ou mal feitas) por mim, as dadas pelas professoras - recortadas de um papel dourado-, as milhares de
estrelas que existem no meu quarto (ímã, luminária, porta retrato,lençol e fronhas, na minha porta...), tanto quis que tatuei uma, que como as estrelas, eu sei que existe mas nem
sempre vejo.

E, aquela definição para pessoas especiais: "Tal pessoa nasceu com uma estrela".
Meu pai dizia quando eu era pequena, não só pra mim, mas pra outras pessoas também "A Larissa é minha estrelinha". Nossa, como eu ficava metida, um nojo!!!
E aquele pedido, que pelo menos eu, faço com todo coração quando passa uma estrela cadente?
Ou aquela explicação delicada que algumas pessoas dão às crianças que ainda não tem entendimento sobre a morte, que a pessoa querida agora é uma estrela.

Eu quero, muitas estrelas. Quero segui-las, conquistá-las, contemplá-las...

Quero que minha estrela brilhe, assim como as estrelas das pessoas que amo.

Sim, todos nós nascemos com uma estrela, se ela ainda não se revelou, é porque falta auto conhecimento para nossa fusão nuclear acontecer..



"Importante é ser estrela...
Permanecer... estar presente...
Marcar presença...
Estar junto...
Ser Luz.. Ser calor... Ser vida.


AMIGO é estrela
Podem passar anos, podem surgir distâncias,
mas fica a marca no coração.
Coração que não quer enamorar-se de cometas,
que apenas atraem olhares passageiros...
E muitos são os cometas...
Passam... a gente bate palmas e desaparecem."



Seguindo Estrelas
Paralamas
Composição: Herbert Vianna

Sigo palavras e busco estrelas
O que é que o mundo fez
Pra você rir assim
Pra não tocá-la, melhor nem vê-la
Como é que você pôde se perder de mim
Faz tanto frio, faz tanto tempo
Que no meu mundo algo se perdeu
Te mando beijos
Em outdoors pela avenida
E você sempre tão distraída
Passa e não vê, e não vê
(...)


sábado, 21 de novembro de 2009

Aos encontros e aos momentos...






Não sei se é o meu momento, ou a minha nova forma de enxergar as coisas, mas tenho tido, TODOS
OS DIAS, encontros e momentos inspiradores. Não é exagero, e nem arrogância, tenho mesmo me enchido
de emoção e me motivado com coisas simples.

Encontro, na minha cabecinha, se resumia a duas coisas: o de amor, e o profissional.
E é tão maior que isso, e com infinitas definições...

Toda essa luz surgiu quando li um texto de Goethe, que fala da movimentação que acontece quando nos
propomos a realizar um projeto.
E, o mais engraçado foi que depois desse insight, algumas músicas, textos, filmes e conversas surgiram
abordando o mesmo assunto.

É um tema muito clichê, frequenta estantes de auto ajuda, músicas melosas, filmes frustrantes...Mas não deixa
de ser um tema real.

Cansei de dizer e de ouvir: Por que meu projeto não fluiu? Por que não dei certo com esse tal cara? Por que essa amizade
tão antiga não funciona mais? Pô, é simples: DESENCONTROS. No final daquela música da Vanessa da Matta com Ben Harper,
ela diz "Um bom encontro é de dois". É isso! Com tudo - encontro: de ideias,pensamentos, na profissão, com si mesmo, de projetos,
apaixonantes, reencontros, ir de encontro a...

A terceira lei de Newton diz: "Se um corpo A aplicar uma força sobre um corpo B, receberá deste uma força de mesma intensidade, mesma direção e de sentido contrário."
Agora imagina, você ir com tudo de encontro com o nada? Vai causar algum impacto? O objeto que você esperava colidir, nada tem a ver com isso.
Foi simplesmente um desencontro.

Todo encontro nos causa alguma sensação: seja de arrepio, uma ideia brilhante, um desfecho, horas de conversa, de risada,
alguma certeza, alguma dor, ansiedade...
Se vieram de encontro a você, não foi a toa. "Você atrai o que você transmite" ( e não é que essas frases populares fazem o
maior sentido?!)
Até dos encontros com a dor, com a tragédia, podem render atraves da superação coisas incríveis.

Outro dia tive a felicidade de encontrar a Flavia na faculdade depois de um dia dentro da biblioteca, num
calor bizarro. Estava acontecendo "Fala Favela", em homenagem ao dia 20 de novembro, com algumas oficinas (jardinagem, fotografia, música, circo...) e alguns eventos depois.
Eu e Flavia escolhemos a oficina de fotografia. Quando descobri que iriamos construir nossas maquinas, tirar e revelar nossas fotos, me bateu um medo! Pensei logo "Minha maquina vai ser a mais zuada, vou tirar uma foto que não vai
caber nenhuma interpretação, e algum desastre meu vai explodir a sala de revelação" Que pessoa otimista! Hahahahahaha!
Foi tudo maravilhoso, nunca tinha imaginado que construir uma máquina poderia ser tão simples, e como é delicioso participar
de todo o processo...

Depois disso conhecemos um pouco mais o professor que nos ofereceu a oficina, ele é do grupo "Sócio Cultural Raízes em Movimento".
Conhecemos a visão dele, das fotografias, do mundo e da comunidade do Complexo do Alemão.
Passamos a tarde com ele, eu - ouvindo admirada as coisas interessantes que ele e Flavia diziam.
Eles nos falou do Henri Cartier-Bresson, nos explicou do "momento certo" ( um exempo é passar um dia inteiro com a maquina esperando o momento exato, para tirar apenas uma foto), o olhar descolonizado nas fotos, sobre a emoção que as fotografias precisam passar
para serem consideradas arte... Saimos da faculdade, comemos pizza... Foi um encontro, que mesmo com toda diferença, podemos nos entender,
aprender, nos abrir...

O momento -mais emocionante desse encontro- foi quando Flavia contou que quando morou fora, ela começou a colecionar cartão postal, e a exigência dela na hora de comprar os cartões era: "Eles tinham que me emocionar". No meio do papo, ela tirou da bolsa, um cartão lindíssimo preto e branco de um senhor tocando em uma calçada, com várias crianças em volta - cada uma com uma expressão diferente-, e quando eu penso que Flavia não poderia me surpreender mais, ela escreve "aos encontros e aos momentos, Flavia", presenteando o protagonista do nosso encontro.
Conseguiu, claro, deixar todos sem palavras.

Essa é a Flavia: minha amiga de tantos anos, com quem eu tenho inúmeros encontros e reencontros.

À você, minha amiga Flavia, à todos os amores, aos encontros e aos momentos...


* Coloquei fotos do fotógrafo Henri Cartier-Bresson e da técnica que aprendemos(de pinhole -fotografia artesanal)




"No momento em que nos comprometemos, a providência divina também se põe em movimento. Todo um fluir de acontecimentos surge ao nosso favor. Como resultado da atitude, seguem todas as formas imprevistas de coincidências, encontros e ajuda, que nenhum ser humano jamais poderia ter sonhado encontrar. Qualquer coisa que você possa fazer ou sonhar, você pode começar. "
(Goethe)

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Middle brother







Hoje vou falar do Maurício, mesmo sem existir palavras para o definir nem o que ele representa na minha vida.

Ele é quase 7 anos mais velho que eu, libriano, nasceu no mesmo dia do Cartola, é muito inteligente, charmoso, ENGRAÇADO,flamenguista doente,
quem não conhece acha que é tímido e quem conhece o lado zuador dele não consegue ver o coração que ele tem. Eu, nesses 23 anos
consegui. Ele está pronto para ajudar e tem uma sensibilidade incrivel.

Meus pais não planejavam ter mais filhos, e eu surgi na barrigota! Maurício era o mais novo, e passou a gravidez toda sem
querer saber do neném. Só comentou com a minha mãe "o bebe vai nascer depois que o cometa Halley passar". E nasci mesmo!!! Quando minha mãe chegou
em casa comigo, tinha um desenho de nós duas feito por ele.

Fui crescendo junto com as implicâncias dele, com o ciúme, sendo zuada. Mas ele estava lá, presente, cuidando de mim, estimulando meu bom senso,
me levando para o inglês,para o espanhol, para o colégio, buscando de festas, trocando a música no carro quando eu dizia que gostava, me alertando
sobre os homens, me seguindo em Guarapari, zuando meu esmalte, corte de cabelo e todos os meninos que eu falava que gostava ele dizia ser igual ao Cirilo do Carrossel.


Nos tornamos adultos, continuamos unidos, mas agora muito amigos (as zuações continuam).
Ele - que sempre foi o ponto de equilíbrio da casa, buscando a paz, conselheiro de todos, presente em todos os eventos,
imparcial, carinhoso- está fazendo uma falta enorme apesar de estar todos os dias nos meus pensamentos.

Nunca pude agradecer tudo que você foi, e é na minha vida.
Muito obrigada por ser meu grande amigo e um pouco pai, pelos filmes que assistimos juntos, pela paciência, pelos brigadeirões quando eu estava na TPM, e pelos lanches também, por ter me ensinado a gostar de wisky, do flamengo, a ser menos explosiva, a ser mais crítica, mais mais cuidadosa com as pessoas, pelas conversas, confidências, cumplicidade...

Irmãos: antes não tinha noção da grandeza desse amor. Eles, como você, são 50% sua mãe, e 50% seu pai. São a lembrança da infância, são seus aliados,e representam a torcida mais sincera.

Mauri, QUE SAUDADE! AMO MUITO VOCÊ!


O que seríamos de nós sem irmãos?
Não poderíamos ser os caçulas,
nem os mais velhos,
nem mesmo os "do meio".
Não poderíamos confidenciar sobre aquela paixão.
Não poderíamos brigar pelo pedaço maior do bolo.
Não teríamos em quem pôr a culpa pelo vaso quebrado.
Não teríamos com quem jogar bola ou brincar de boneca.
Não teríamos com quem conversar durante a madrugada.
É por isso que devemos agradecer pela dádiva que a vida nos dá,
Quando temos aquele ombro amigo, depois da briga com o namorado.
Ou simplesmente, quando eles estão lá, nos olhando admirados. "

* Próximos posts também dedicados aos irmãos: os gêmeos.


sábado, 14 de novembro de 2009

Yin-yang






Yin Yang é, na filosofia chinesa, uma representação do príncipio da dualidade de yin e yang.

Segundo este princípio, duas forças complementares compõem tudo que existe, e do equilíbrio dinâmico entre elas surge todo movimento e mutação. Essas forças são:

  • Yang: o princípio ativo, diurno, luminoso, quente, masculino.
  • Yin: o princípio passivo, noturno, escuro, frio, feminino
(Yin-yang segundo a Wikipédia)


Esse encontro com as meninas, realmente me inspirou - tive um reencontro comigo, menina, com
meus desejos mais puros, minhas idéias mais autênticas, descobrindo meu jeito, me abrindo para
o desconhecido...


Tenho vivido numa pressa, que meu piloto automático tem estado muito mais presente na minha
vida.
E, acabei esquecendo meu maior anseio, o de ser equilibrada.

A idéia do equilíbrio logo me traz a imagem do sereno, pacífico, a atitude ponderada, do silêncio, das músicas instrumentais,
dos pesos opostos e iguais,da voz doce, da calmaria do mar...

Engraçado como somos conservadores até com as idéias! Hoje, aceito o fato de certas coisas que não me traziam uma sensação
boa, serem necessárias até para nossos mais legítimos e inocentes planos.

Como mudar - sem sentir um incômodo, como se movimentar, raciocinar - sem o minimo de adrenalina, como ser eu - sem ser egoísta,
como querer o bem - sem ter fé, como ser uma mulher forte, completa - sem ser frágil e menina, como ter a paz - sem fazer guerra (super
manjada essa, hehehe), como batalhar pelos sonhos- sem impulso, como ter coragem - sem medo, como ser seco- sem ser meloso, como fazer
a arte- sem a tristeza, ser feliz - sem a desilusão, a calmaria - sem o turbilhão, querer férias- sem produzir e suar, como querer o
silêncio - sem o barulho, querer ser amado - sem o aperto no peito, o bom senso - sem crítica, querer acertar - sem os erros, ter o conforto- sem as lágrimas, o produto - sem o esforço,
querer o genuíno- sem ter tido o falso, como apreciar a sinceridade- sem ter conhecido a mentira, ser justo - sem ter sido leviano,
ser sério - sem ser irreverente, ser seguro - sem tropeçar,a chuva - sem o sol, sentir o presente- sem a nostalgia...
Acho que das imagens do equilíbrio, a que restou foi a da balança. Tive que fazer uma volta, para concluir o mais óbvio.

Por isso, ser uma pessoa mais tranquila, quem sabe até mais equilibrada, não tem sido uma tarefa, e sim um fruto, por ter aceitado
todos esses ingredientes como necessários.

Nos aceitar, é libertador, e pode nos levar muito mais longe.





Meu mundo se resume a palavras
que me perfuram, a canções que
me comovem, a paixões que já nem lembro, a perguntas sem respostas, a respostas que não me servem, à constante perseguição do que ainda não sei. Meu mundo se resume ao encontro do que é terra e fogo dentro de mim, onde não me enxergo, mas me sinto.
Nada tenho a ver com não gostar de mim. Me aceito impura, me gosto com pecados, e há muito me perdoei."

Martha Medeiros

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Talking about revolution




Tem rémedio melhor do que passar a tarde com sua amigas antigas, lindas, inteligentes,
num festival de comida japonesa?

Amizade antiga tem disso, se você some porque está atolada de coisas p/ fazer, não rola cobrança,
elas sacam tudo sem eu ter que falar nada, e não importa onde seja, sempre é muito divertido.
Quando as novidades acabam, é só surgir uma história engraçada, e outra, mais uma... E a hora passa
num piscar...

Colecionamos situações bizarras, experiencias maravilhosas e MICOS inacreditáveis!!!

E saber que nos tornamos adultas, com caminhos profissionais completamente diferentes, vida corrida,
namoros, viagens, estudo, e mesmo assim continuamos em sintonia é sensacional.
Você poder olhar e pensar: caraca: QUE mulheres elas se tornaram!!!!

Um dia, perto do meu aniversário, visitei o colégio onde estudamos muitos anos e nos conhecemos.
Olhei para a quadra que jogamos volei,basket, handball, onde tivemos nossas festas juninas, feira do livro,
gincana, vi a arquibancada onde conversávamos comendo a pizza oleosa da cantina (mas era muito boa),onde eu falei "amo você" pela primeira vez sem ser para os
meus pais e sem ficar constrangida,
onde eu contava minhas descobertas ou algum problema, olhei as salas que hoje estão super modernas com câmera, quadro com pilot...

Me vi em algumas menininhas que estavam conversando na escada, e lembrei dos meus sonhos (muito fora da realidade, de menina hehehe),
dos finais de semana na casa das amigas- vendo filme, comendo brigadeiro, na piscina, andando de bicicleta, na praia, em festas proibidas
para menores de 18 anos, em shows, cinema, mc donalds depois da aula, jogando war, detetive, maumau, perfil, imaginando os homens das nossas
vidas, escolhendo nome de filhos, fazendo festinhas americanas onde cada um levava uma coisa mas o que importava mesmo era a dança da vassoura,
descobrindo músicas, comendo sem engordar (com o metabolismo a mil) vendo o corpo e o mundo mudar aos nossos olhos...

E descobri que continuamos as menininhas que eu vi na escada, com os mesmos sonhos, mesmas risadas, mesmo brilho no olhar...
E ainda mais, minhas meninas são mulheres éticas, ainda querem mudar o mundo, são inteligentes e sensiveis, e temos uma coisa
chamada ligação que levou anos para ser construida.

Vou colocar uma música do U2, que todo mundo conhece, mas quando soube o contexto da composição me arrepio ainda mais quando ouço:"A música "One", terceira faixa do Achtung Baby . Ela é uma linda canção de amor e já gerou diversas interpretações. A maioria das pessoas pensa que ela fala de um relacionamento entre um homem e uma mulher... Essa música vai muito mais além... fala de um tema forte: "AIDS". Um amigo de Bono faleceu dessa doença em 1990... e Bono escreveu "One" , uma letra que mostra um diálogo emocionante entre um filho prestes a morrer e seu pai, incrédulo diante da situação. "One" é muito mais do que uma simples música."

Às minhas meninas, e à todos os amigos:

One
U2

Composição: Bono Vox

Is it getting better?
Or do you feel the same?
Will it make it easier on you now?
You got someone to blame
You say one love, one life
It's one need in the night
One love, we get to share it
Leaves you, darling, if you don't care for it.
Did I disappoint you?
Or leave a bad taste in your mouth?
You act like you never had love
And you want me to go without
Well, it's too late, tonight,
To drag the past out into the light
We're one, but we're not the same
We get to carry each other, carry each other
One
Have you come here for forgiveness?
Have you come to raise the dead?
Have you come here to play Jesus
to the lepers in your head?
Did I ask too much, more than a lot?
You gave me nothing, now it's all I got
We're one, but we're not the same.
Well, we hurt each other, then we do it again.
You say:
Love is a temple, love a higher law
Love is a temple, love the higher law
You ask me to enter, but then you make me crawl
And I can't keep holding on to what you got
When all you got is hurt.
One love, one blood
One life you got to do what you should.
One life with each other: sisters, brothers.
One life, but we're not the same.
We get to carry each other, carry each other.
One love! One!

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

city of blinding lights







Ontem, estava saindo da tijuca (niver vovô), e quando paramos no posto a luz acabou. Aí comentei - mãe, será que em casa também estará assim?!
E estava assim na ponte, e em Niterói todo.

Já em casa, fiz a "ronda" pelo celular para saber se estava tudo bem. Descobri que não foi só no Rio, em outros estados também.
Nessa hora, da falta de luz, me bateu uma saudade de todos, uma vontade de conversar, comer doce... As casas vizinhas devem ter ouvido nossa
conversa animada (com minha mãe).

Apesar do caos do Rio por causa do blackout, a gente esquece que muita coisa fica apagada por causa da luz!
Normalmente, quando chego em casa ligo o note, o som, tv... Vejo minhas coisas,como, tomo um banho e durmo.


Há muito tempo não acampo, e os dias que acampei foram uns dos melhores. O céu muito mais lindo, sem poluição do ar e sonora,
uma mistura de cheiro do mar e do mato, aproveitar o dia todinho, acordar cedo, fazer trilha, ficar isolado de tudo,
tomar banho com a água da cachoeira (a noite não é tão agradavel assim), tirar fotos de praticamente tudo, porque é tudo lindo,
conhecer pessoas que estão como você - com o cabelo parecido com o do Valderrama, chinelo, cara amassada, e biquini o dia todo-,
comidas simples, polenguinho com brioche de café, açaí todos os dias (a balança agradeceu muito), ouvir as barracas vizinhas à noite
por causa do silencio - um violão, histórias engraçadas, segredinhos, momentos íntimos (hahahahahahahaha)...

Acampando, tive um blackout da nossa vida corrida, dos problemas, da ansiedade... Pude simplesmente ser eu mesma, fugir da Larissa
modernosa, e fazer as coisas que realmente gosto.

E, como os de ontem, têm aqueles blackouts horrorosos, na hora da prova, de escrever p/ alguém e só sair "estou com saudade", de não responder
uma coisa importante, blackout na gente nas nossas emoções, idéias, rumos...

Tenho uma amiga, muito amiga , que sempre me ajudou nos meus blackouts, quando eu não soube o que fazer, quando fiquei sem saída e não
conseguia raciocinar, teve paciencia para me ouvir quando eu tinha muitas luzes mas estava completamente perdida, e tem me incentivado muito,
desde sempre, à escrever...


Blackout, na minha cabeça tem vários sentidos... Falta de energia geral, falta de ideias, fuga da rotina e dos problemas, "pane sentimental"...



Todos são válidos, só essa falta de energia de ontem que não, por favor.

E, é sempre bom saber, que uma hora a luz voltará, a mente voltará a ser fértil, as luzes das estrelas continuarão iluminando o camping e
nossos problemas terão saída...